domingo, 23 de setembro de 2012

Carta de Morte do Mortífero

                Prepare-se para a depressão, pois não tenho mais nada a compartilhar, exceto minha melancolia e profunda decepção com tudo que é terreno. Prepare-se para uma guerra cotidiana, que luto todos os dias – contra mim mesmo, a todo instante – na qual minha felicidade é aniquilada pelos caminhos trilhados pelo futuro – relativo, naquele tempo, a ela. Como já disse em Meu Mundo, por meio dessa paráfrase me descrevo: Toda a alegria se deturpa...
                Não aguento mais. Não suporto meu dom para tornar a mais feliz das pessoas em um objeto melancólico, em minha cabeça, mesmo que não queria. Não aguento o sofrimento, que descrevo em Meu Mundo de Lamentos, e a loucura catatônica traduzida poeticamente, superficialmente e fielmente por mim.
                Prepare-se para minhas terríveis noites – nas quais enlouqueço, pensando na morte; nas quais me entrego ao choro e à solidão, para depois me acalmar, gerando um ciclo infindável e doentio, o qual não consigo mais suportar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário