domingo, 23 de setembro de 2012

Máquina do Mundo


Como se ouvisse ruídos ao pensar, sozinho
Caminho procurando a verdade que envolve todos
E todos os sonhos sonhados por pura hiperatividade.

Nosso inconsciente trabalha como se fosse escravo da Máquina do Mundo
E esta, em nenhum momento, para para pensar que pode ser ameaçada.
Com a cabeça entrelaçada por longos fios que vão a lugar nenhum,
Nossa mente trabalha, tentando resolver esse impasse maquinário.

A Máquina do Mundo, se é que realmente existe, criou uma forma de absorver
Qualquer Pensamento que se voltasse contra seus princípios,
Mas esqueceu-se do consciente.

O consciente trabalha criticando, fazendo-nos pensar,
Diferente dos sonhos que o inconsciente nos faz sonhar.
Diferente de tudo que possa vir a ser uma solução
E diferente das coisas movidas por sua Paixão.

Ao final de tudo, os sonhos acabam,
A Máquina do Mundo perde o seu poder de fogo,
E vai se rendendo ao consciente intermitente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário