domingo, 23 de setembro de 2012

Maldição


Quem disse que o intelectual é importante?
Quem disse que o superficial é importante?
Malditos sejam os poetas e artistas que contaminam minha mente
Doente, por causa de suas obras.
Malditos sejam os que deturpam meus dias
E minhas noites sacras de solidão
Em prol de suas supostas virtudes.

Malditos sejam os que riram enquanto eu pensava
No dia em que salvaria suas almas da eloquência social;
No dia em que seríamos livres dessa terrível bolha de cristal.
E quem disse que o que pensam é importante?
Quem disse que valem mais do que os outros?
Malditos sejam seus problemas e pensamentos,
Que se danem e morram todos com seus incansáveis tormentos.

Que o mundo se parta e leve consigo o que digo.
Que encontrem significado em meio às linhas tortas que escrevo.
Que encontrem sentido nos versos manchados de lágrimas
Cristalinas, como os olhos que refletem o caos desse egocentrismo alheio.
Não é necessário. Não preciso dele. Não quero conviver com ele.
Maldito seja isso tudo. Malditas sejam essas pessoas. Maldita seja a solidão.
Malditos sejam os poetas e artistas. Malditos sejam meus amores.
Maldita seja a ilusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário