domingo, 23 de setembro de 2012

Poema do Lago Macabro


Onde havia vida já não há
E o que nos resta?
Entregar-nos a ela?

Talvez o melhor seja esperar
A morte lenta que se aproxima e
Que se forma a cada novo segundo,

Construindo assim,
Um eterno e vazio,
Devasto mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário