domingo, 23 de setembro de 2012

Vozes Estranhas


As vozes estranhas que ecoam em mim
Desafiam toda a assombração que jaz
Em meu lúgubre coração de pedra.

As vozes que soam como morte
Enlouquecem minha mente deplorável
E tomam posse de meu reino pessoal.

O vazio ardente e o medo que sinto,
Que, constantemente, me seduzem,
Controlam minhas ações, meus sonhos
E todas as maneiras sobre as quais meu ódio
Assume forma para vingar-se de mim
E meus prazeres doentios. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário