segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Crítica ao Amor

Enganei-me.
O amor, que tanto defendi, não existe.
É apenas uma forma, uma representação poética
Para a esperança.

Ele é a solução, é a vida,
É a única forma de viver - aos olhos do poeta.
Eu estava errado, pois nem todos fazem poéticas,
Portanto, devo corrigir-me, aplicando um conceito universal.

O amor não existe e, talvez, nunca tenha existido.
É certo que há gestos amorosos, como o beijo,
Mas o amor em si é uma mentira.
É a forma mais bonita de dar um alento ao mundo
- só que é criada, todavia.

Talvez vejamos tudo como sempre foi
E nunca tenha havido uma revolução, uma mudança de comportamento.
Talvez eu esteja errado mais uma vez
E o fato do amor ser corriqueiro demais esteja causando um descontentamento.
- Mas não aceito críticas de enfeitiçados
                                                                 
                                                                   - antigos e novos amantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário