segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Irrevogável

Não tenho palavras, simplesmente,
para descrever um amor mundano,
                                                      um amor humano,
diferente do meu.


Não tenho palavras, não as tenho
e não a tenho, na verdade,
                           mas ainda amo,
                                                      ainda...


Mudei. Não suporto mais as simples descrições
e relações aleatórias ao amor...
 

                                                       Não, realmente...

tudo que escrevi foi vago...
                          exceto os poemas que surgiram em seu umbral...
foram o melhor que podia escrever naquela hora,
                                                                               na hora de minha paixão...


O problema é que não tenho palavras.
Não sei dizer o que sinto,
                                         não sei o que é
                                                               e o que não é,

não sei se sinto e muito menos o que é
                                                             que tanto me agrada,
                                 tanto me anima...
tanto me faz amar...
                         
                               seu amor, meu amor.


                                                    Mas ainda amo,
e amarei até que partamos para diferentes lugares,
até que encontremos novos amores,

                                                                        até que nossos corações sejam revogados...
                     

                              E depois, na hora da saudade...
                                  e depois, depois de tudo...
                                                                       
                                                                             ... amarei ainda
                                                                                                          (seu coração acamado)


                          Sim, amarei ainda...
                                                 
                                    Amarei ainda...
                                                                                  e ainda...
                                                                                  e ainda...

Nenhum comentário:

Postar um comentário