sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Quase Soneto da Eternidade

Pense em tudo que deixei de lado
Para que permanecesse apaixonado
Por tudo que vejo em teu coração,
Que me permite amar sem fronteiras,
Com a doce suavidade de uma paixão.

Pense em tudo que sou em mim
E tudo que deixo de ser para ser enfim
Tudo que desejas de um amor perfeito,
Um amor que deixaria de ser amor
Para ser em teu peito.

Amo-te em meus mais remotos pensamentos
Para que surjas para mim de repente
E, com um leve beijo, faças parar o tempo.

Amo-te calmamente em um instante, simplesmente,
Para que sinta teu encanto a todo momento;
Para que meu singelo amor seja amor eternamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário