terça-feira, 20 de novembro de 2012

Simples Relato de Recordações

Eu lembro,
Mesmo que fosse muito novo,
De todas as palavras que disseram,
De todas as músicas que tocaram
E de todos que passaram
Por meus pequenos olhos,
Sedentos de memórias
E de novas histórias
Que se tornaram memórias
Quando o tempo chegou.

Eu lembro,
Mesmo que vagamente,
De tudo que ganhei
E de tudo que larguei
Para que se tornasse algo sozinho, sem mim,
Sem minhas mãos sujas,
Minhas mãos de criança...
Mãos inocentes.

Eu lembro,
Mesmo que fosse muito novo para lembrar.
E hoje sei que,
Se não lembrasse tanto,
Não teria vida,
Não teria novidades,
Não conheceria as crueldades que fizeram
De mim mesmo,
Objeto das lembranças que insisto em guardar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário