terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Cidadezinhas Quaisquer

Em uma cidadezinha qualquer,
Onde nunca estive,
Toda imagem é herança,
Passado, presente
E também futuro.
Não o meu,
Mas o de muita gente
Que talvez nunca exista
Em minha por vezes altaneira,
Por vezes humilde e sutil lembrança.

Em uma cidadezinha qualquer,
Um lindo povo se esconde,
Mas não é lindo de beleza, não.
Muito menos de coração...
É lindo de cultura, simplesmente.
Uma pena se nunca for encontrado...
Se se perder por aí...
Como as riscas no chão se perdem no verão chuvoso,
Como as montanhas se perdem num mapa artístico-rugoso
E o tempo que se vai,
Perdendo-se em si mesmo e em outros tempos,
Levando consigo outros povos
De outras cidadezinhas quaisquer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário