segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Novo Ano Novo

É carnaval em todas as conversas
Que se tornaram inteiras numa toada
Para as pessoas diversas
Que, partindo delas, se tornaram amadas.

É Natal e ano novo em todos os lugares
Que se dizem inteiros ou vulgares.
É Páscoa e dia da bandeira
É tudo uma imensa zona de suave brincadeira.

Anos vão e vem, mas continuamos os mesmos,
E, ainda assim, nos fazemos diferentes a cada dia.
Não há destino, não há valor a esmo
A vida é toda planejada, a vida é uma sorte fria.

Mas o que é que tanto nos perturba?
Quais são nossos sonhos escondidos
Que nem virão a ser sonhos
Muito menos inimigos
                                 - de nossa própria sorte?

                                                             Onde foram depositados?
               
Resposta não há
Ano velho não há
                              E neste ano novo que agora vem até mim,
                              Que se crie compaixão e amizade.
                              Que o amor se valha enfim
                              Sem qualquer anomalia de ordem,
                              Sem medo e crueldade.

Que o amor domine a todos nós
Para que possamos conviver com pobres e ricos;
Para que sejamos únicos em meio a multidão sem voz,
Em meio às diferenças indiferentes de nossa incrível sociedade.
                       
                                                                                            Que o homem não seja aleto
                                                                     Mas que pense em segredo
                                                    Em um dia secreto
                                                                    (Para nós ainda)
                                                                                No qual o que surge do imediato decreto
                                                                                                  Seja um breve e eterno fazer.
                                                                                               
E se todas as coisas que desejamos não derem certo,
Que venha um próximo ano de esperanças
Para nos fazer crescer
- Não do sucesso,
Mas de nossa momentânea queda,
            nosso extenso aprender.

                                                                    Hoje os relógios pararão por um segundo
                                                                    E o tempo que já não é
                                                                    Verá um novo ano passar.

                          Hoje a harmonia contempla o mundo
                          E o - dito - mundo que nada quer
                          Espera ansiosamente por algo que realmente
                                                                               O faça querer mudar.
                                                                         

Nenhum comentário:

Postar um comentário