sábado, 19 de janeiro de 2013

Irrelevante

Na vida e poesia,
Não se deve arrancar o que está encrustado
Nas mentes das pessoas.
Como a fé,
As paixões e amores.

Não se deve julgar,
Não se deve ter, mas ser;
Deve-se escrever o que pensa
Mesmo que venha a ofender os outros.

Na vida e poesia temos limitações,
Mas na escrita livre, em versos, não,
Porque, quem disse que versificar é poetizar
E poetizar é o simples versificar?

Posso falar o que penso
Mesmo que não esteja enquadrado na poesia,
- Ainda assim, se disser que fiz um poema, será um poema, mesmo que não seja.

Enfim, posso escrever o que quiser,
Como a Igreja pode abusar os fiéis
Sem que os bobos percebam que estão pensando por eles;

Como os partidos políticos, que estão para ser extintos
- Em troca de governantes avulsos reunidos;

Como o vento que sopra ao longe, sem obstrução
- Coisa que muita gente por aí não faz,
Simplesmente por se obstruírem ao pensamento,
Que é o que nos distancia do instinto,
- Do que nos faz homens ao invés de animais apenas;

Como os mal-educados (por Educação) reagem
Ao se depararem com a injustiça que lhes é destinada
Por serem mais baixos, segundo o resto ignorante.

Como os drogados que destroem famílias;
Como os bandidos que matam, mas, por serem pobres, sofrem punições.

Uma coisa é certa:
Se o mundo inteiro tivesse dinheiro, exceto os supostos justiceiros,
E se eles não se incomodassem com sua condição,
Não haveria ser humano na cadeia.

Ah, a corrupção!

Mudando mais uma vez de assunto,
Para discutir assuntos,

Agora quero falar sobre minha mente:
Um paraíso de vários assuntos e temas,
Como este poema.

Outra coisa faz sentido:
Se um dia alguém conseguir me converter a alguma religião,
O fulano será um senhor chaveiro...

Minha mente é feita de inúmeras portas trancadas
- Abertas apenas para mim e convidados.

Você não é bem-vindo (a) até que eu convide.



                                                   Voltando à poesia:

Posso escrever o que quiser...
Como os pedófilos televisivos que vão comendo seus filhos
Enquanto você assiste TV na hora do jantar...

Até que seus pequenos sejam dominados pela malícia...

LINDO!

Viva a sociedade!
(Que é permitida fazer o que quiser sem que alguém a interrompa
OU
Sem que não haja punição suficiente para parar determinadas coisas

                         - Como este poema...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário