sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Olhar Vazio

Às vezes me vejo sentado em um canto
Erguendo-me de pensamentos impotentes,
Nos quais sou vítima da miséria que penso
Estar próxima de mim.

Às vezes me vejo como em um espelho,
O qual minha mão atravessa
- Como se fossem as águas de um rio
Que mergulhassem em minha mente
Fazendo com que meu olhar vazio alagasse

E se enchesse...
E esvaziasse...

                                         ... de novo...

Às vezes imagino o mal que existe em mim.
Sou todo ele e todo o bem que já imaginei
Ou criei...  Ou simplesmente copiei
De um outro infeliz
Que morreu de sua felicidade.

Meu olhar vazio é minha única realidade...
E já não sei como sentir qualquer coisa.

Que não sinta nada!
Será problema para alguém? ...

                                                                     ... Talvez só para mim
                                                                         Mas não sei...
                                                                         Não sei de nada.




Nenhum comentário:

Postar um comentário