domingo, 3 de março de 2013

Poética Byroniana

Você, a quem eu, na verdade, não conheço,
Conhece-me também
Por um verso
Ou dois.

Assim
Como o céu
Que conhece suas nuvens
Pelo tamanho das palavras que o atingem;
Pelos aviões anuviados que por ele se espreitam
E por meu amor, que, depois dele, é o mais sincero infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário