sábado, 13 de abril de 2013

Andante

Ando pelo lado pobre da calçada,
Onde estão os muros rachados,
A tinta das paredes riscadas

                                                  e o vazio das pessoas sem alma

  que vestem seus ternos
   
                                                 cinza!

de sofrimento e indiferença.


                                                 Ando por aí...

Ando pelo lado feio da rua,
Mas ando sozinho, nu e de olhos abertos
Para que veja melhor a beleza do oposto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário