quinta-feira, 18 de abril de 2013

O que tudo representa?

A vida me parece tão disforme,

                                                caótica e desprovida de vida
muitas vezes.

A morte, pelo contrário e pelo que dizem por aí,

                                                                            parece algo maravilhoso.

                              Parece que se inverte e estaciona no tangível

                                                                     e nosso próprio onirismo fantasia sua chegada.


Não sei quem é mais banalizada.
Não sei qual vale mais a pena.

                                                                     
                                                                    Os que dizem um têm medo do outro

e os que dizem outro têm seus egos desenvolvidos

                                         a ponto de passar por cima do desejo de morte de alguém

para que seu estado emocional seja mantido são.


Não acho que a vida acaba na morte e que a morte seja algo especial.

                                    É hora de virar pó. Ciclo natural e biológico. Jamais crendice minha.


A morte silencia o mundo

                                        e entristece os despreparados.

A morte é apenas a fuga eterna da vida.
 
                                             Os que se preocupam com a alheia
                                   
                                             apenas não desejam sofrer, inconscientemente.



Frieza.
É preciso frieza de vez em quando.

                                                                Chorar o leite ou corpo derramado
                                                                É entornar veneno e ir junto com o mesmo.

É mostrar sua fraqueza perante a não existência.


É deixar de viver por um segundo
e unir-se ao adubo dos cemitérios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário