quarta-feira, 5 de junho de 2013

Quase Censura

Não me consultaram,
não me ajudaram
tampouco fizeram de mim
um poeta feliz.

Apenas caluniaram,
apenas censuraram
as palavras que, em minha boca
deixaram de ser vagas,
poucas, dispersas
e humildes.

O tempo passará e meu silêncio tornar-se-há gritaria.
Convocarei os poetas que guardo em meu corpo
e derrotaremos a melancolia e sentimento morto,
intrínsecos a meu eu.

Contudo, em meio a toda esta confusão,
meus escritos passarão a ser ditos confusos e loucos
para que eu mesmo assegure minha sanidade e introspecção.

Minha tristeza será exagerada e desabafada,

minha solidão não estará sozinha...

Viverei mais uma vez, portanto,



                                                                                             por mérito pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário