sexta-feira, 28 de junho de 2013

Poema Como Outro

O problema é fazer comparações.

Ao nos darmos conta de que somos como poemas
e que nossas vidas são palavras findas
- metafóricas, irônicas, prolixas e burocráticas,
perceberemos o vazio ao qual nos submetemos,
assim como, quando ficamos tristes,
por nossa conta, desfalecemos.

Ao nos darmos conta de que tudo termina,
tendemos a suprir nossa reclusão
e florear, e surrealizar, e confundir
o que realmente queremos dizer,

assim como um quadro de Magritte, Dalí
ou versos simplório-complexos de Mendes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário