segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Da fábrica

Mundo generalizado,
de cores turvas e foscas,
de almas idênticas e folgadas,
de marcas e roupas peladas.

Mundo igual,
de pessoas não pessoais,
de máquinas e objetos humanos,
de linguajar e modos semelhantes,
de hipocrisia e falsidade tidos como diamantes!

Mundo-vergonha,
de laconismo e erros gramaticais,
de gostos e formas redundantes,
de cunho miscível, porém ignorante,
de muitas palavras e poucos significados,
de amores superficiais e amores descartados.

Mundo mundo vasto mundo...

Tanto mundo
pra tamanha pouca coisa?!

2 comentários:

  1. Mas Paulo, ainda existem outros mundos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, se existem outros, essa é uma crítica a apenas um desses mundos.

      Excluir