domingo, 22 de setembro de 2013

Soneto Imperfeito

Na inquieta hora de minha agonia,
não gritei meus puros versos de dor
nem mesmo os românticos cantos de amor,
mas sim à sofreguidão da própria melancolia.

E os boêmios que dançavam eroticamente
enquanto comiam e bebiam do sangue de seus pais
choravam por dentro uma alma medrosa... e mais
astuta que o poeta que os descreve, somente.

Nunca vi suas mortes, tampouco vidas,
e, mesmo que tentasse, seria, por sua ganância, impedido
de ver as curvas - tão, por eles, queridas.

Jamais serei algo para meus colegas, desentendido
dos assuntos que os interessam ao conseguidas
as calígulas que os revestem com putrefato libido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário