domingo, 29 de setembro de 2013

Soneto a um dia incomum

Escreveria um soneto imperfeito
para todos os que por mim
passassem em um único dia...
sem poesia, sem verso, sem rima.

Escreveria sem escrever
em redondilhos maiores
as palavras que a mim
dissessem seus lábios

e os tornaria parte de mim
ao passá-los ao papel
em branco, levemente desbotado.

E então, no final do dia,
ao ler tudo que fiz,
começaria de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário