segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Código

Codifico o que interpreto
e imagino o decreto
pelas portas fechadas
de minha mente falecida.

Sozinho caminho...
sozinho caminho...
os caminhos que encaminhei
juntamente com meu pesar.

Codifico o que interpreto
e interpreto o que a mim
jamais se prontificou
solitariamente a amar.

Sozinho caminho...
sozinho descaminho...
nos trilhos, de braços abertos,
jazendo no que sonhei em sonhar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário