domingo, 17 de novembro de 2013

Fim

suas asas sujas caíram;
seus amores e sonhos partiram;
sua esperança e coragem sumiram;
seu ego e ansiedade a mim destruíram.

e o que sobra de todo passado
é um futuro repleto de memórias,
que só perpetuam a dor do abandonado
e eternizam a sofreguidão da vanglória.

aos poucos, inimigos...
cada vez mais, pontos distantes
num segmento infinito
de tristes amores, amantes

aos poucos, refletidos...
um no outro como espelhos mentirosos
de cunho retido
e, solitários, estirosos.

suas asas sujas caíram;
seus sonhos partiram;
sua esperança e coragem sumiram;
seu ego e insanidade a mim destruíram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário