segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Qualquer poesia

se eu precisasse de qualquer coisa,
procuraria na terra onde ninguém me conhece,
onde, nas profundezas, anjos cantam e dormem
docemente esperando que o mundo acabe
para criarem, com suas asas, uma cama
para que o amor descanse sua cabeça atordoada.

se eu precisasse de qualquer coisa,
procuraria nas palavras de lugar algum,
onde, das planícies e planaltos agudos,
gigantes acordam de pesadelos,
para que meus sonhos se tornem concretos...
para criar imagens minhas e para mim, somente.

se eu precisasse de qualquer coisa,
procuraria na terra onde ninguém me conhece,
onde, das profundezas, o amor que canto
dorme ansiosamente esperando que meu mundo acabe
para que desperte sem ninguém a seu lado,
lutando para que vença mais esta batalha pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário