sábado, 21 de dezembro de 2013

Pensamentos descontentes desatinam sem me ter

Pensamentos descontentes desatinam sem me ter
e o amor que tanto amo arde sem me ver.
É a chama de algo incerto e imprudente,
é o calor de meu vasto coração eloquente.

Pensamentos vão e vem em sonhos dissidentes
e tornam-me escravo de tua beleza a mim ausente.
É o verso de um pequeno poema a ti destinado,
é sentir a tua falta em um beijo delicado.

É dormir para apenas sonhar contigo
e não ser algo somente, mas ser teu abrigo
em meio à tormenta que ao mundo castiga.

É estar preso e livre simultaneamente...
é amar-te sem rancor e eternamente
em meio à distância que nos instiga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário