domingo, 8 de dezembro de 2013

Sétima coisa alguma

pernas pro alto em
folhas em branco u
m poema interminá
vel começa a se es
preitar por minha
mente cansada e s
onolenta sem poe
sia ou versos cala
dos sem a tristeza
ou alegria de seres
distantes que se en
contram em uma e
squina depois de l
ongos e longos te
mpos em que a dis
tância os envoltou.

pernas pro alto em
movimentos brusco
s folha em branco p
apel vazio mais rep
leto que o repleto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário