domingo, 30 de março de 2014

Mensagem

se dissesse que te amava, esta não seria uma canção.
seria um poema perdido em versos imersos em uma triste imperfeição
- como todos os outros que vivi eloquentemente e escrevi amargamente,
- como todos os outros que li e reli, enquanto sofria em minha mente.

se dissesse que te amava, tu não serias minha predileção.
e nós dois, ambos sofreríamos, e ambos morreríamos de intoxicação.
- veneno das palavras não ditas e escritas por um poeta triste,
- veneno das palavras não vividas e não relidas por uma língua em riste.

e as noites seguiriam em desatino enquanto me perderia em meio tom
ou na bebedeira que alicia a maldade diversa e amplificada em mim, com
a ansiedade e impulsos destoantes de um amor de uma noite qualquer.

e nem mesmo lembraria de teu nome ou tua face
enquanto o sexo e apetite dançariam o desenlace
de medidas alternativas à realidade que compõe o que malquer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário