quinta-feira, 3 de abril de 2014

Decadência

Caíram sobre minhas costas imundas e gastas
a decadência e depressão: almas incastas
para minha lívida digressão - agora amiúde
de tanto amar e amar mais do que pude.

Amei anônimo, incógnito e lacônico
enquanto seus olhos de penumbra diziam meu mundo
refletido em bocas e peitos, em versos e estrofes profundos
- entrelinhas de meu sincero amor platônico.

Mas caíram sobre minhas costas a decadência e depressão
e agora nada me resta senão chorar as mágoas de viver
enquanto regenero meus pesadelos de solidão.

Amei sozinho, porém acompanhado a arte de sofrer
embora não sofresse tanto, e apenas escrevesse a miséria

Nenhum comentário:

Postar um comentário