domingo, 11 de maio de 2014

a você VIII

devaneio palavras.
carrego meu amor
em um coração
duro e fechado.

em suas paredes
repousa o silêncio,
a timidez e simpatia.

e em sua simplicidade
descansa a ternura,
vazios e tristezas cinza

- como os sonhos que 
sonhei sonhar sozinho
num dia distante de hoje.

- como tua voz, que elide
sons em minha mente
e apenas canta versos de amor.

devaneio palavras.
carrego meu amor
em um coração 
duro e fechado.

em suas paredes,
ruas tortas de agonia
e sofrimento.

e em sua simplicidade,
simples versos para
a amada, que descansa em paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário