terça-feira, 27 de maio de 2014

Amar não é suficiente

Amar não é o suficiente
aos que jamais amarão.
Sou o poeta de versos doentes,
sem amor, sem palavras, sem coração.

Insensibilidade minha e tua
correm em nossas mãos
em noites frias e nuas,
sozinhas, em vielas de solidão.

amar é pouco, já não há esperança.
somente existe a mera lembrança
de tormentos e abandono.

amar é louco, já não há semelhança
com o que existiu outrora, antes da mudança,
que faz com que eu queira o Eterno sono.

Nenhum comentário:

Postar um comentário