quarta-feira, 21 de maio de 2014

de minhas angústias e medos regressei, amor

de minhas angústias e medos regressei, amor,
guiado por tua voz e teu contentamento
minha própria felicidade se estendeu,
interrompendo, em beijos, o inverno que a mim era inerente.

e, se deposito em ti minhas alegrias e esperanças,
saiba que em mim também estou trabalhando...
que em mim também há amor,
que não posso renunciar-te por amar-te como o faço.

e soam a serena valsa para a lua,
as cordas de teu violão,
os violinos que toco para ti,

enquanto eu sigo as águas que te levam para longe de mim,
que te distanciam de teu próprio amor,
que silenciam tua doce voz, enfim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário