terça-feira, 27 de maio de 2014

Foi da luz que saíste

foi da luz que saíste
e nasceste extravagante,
cerúlea, pétrea, 
esmeráldica e sigilosa.

da quietude te moldaram,
de ventos alegres
e traços tristes 
te fizeram,

daqui, admiro-te em silêncio
enquanto olhas para outrem,
que, por sua vez, não olha nada.

mas ainda amo-te...
ainda amo-te...
com um coração irrevogável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário