quinta-feira, 15 de maio de 2014

Querida

nem tua cor, nem tua simples e mínima
transparência são capazes de afastar
os males do mundo de tua mente, querida.

nem tuas mãos, nem tua ríspida e calada
expressão conseguem ser crepúsculo
para meus amores e fantasias, querida.

antes de amar-te, era vazio.
tudo parecia morto e mudo, caído e abandonado
assim como suspeitava parecer, alheio ao mundo
ausente de minha própria mente.

antes de amar-te, era vazio.
tudo era de outros e nada era meu,
até que, por ser quem és, 
preencheste minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário