quarta-feira, 23 de julho de 2014

-

Um dos logros de amar, sem dúvida é ter-se refletido
nas características de quem se ama. 
Mas a ausência... ah, sua ausência... vivo escondido
pensando em versos para descrever tamanho sofrimento.
E sofro, ainda, por não tê-la por perto.
Porém, sofro por não saber amar, visto que amor é liberdade.
Longe de mim sua ausência se torna iminente.
Mas ainda ajo como se respirasse a meu lado,
a cada instante, eternamente, colorindo minhas 
entranhas desbotadas, desassombrando minha
calada mente, que aqui escreve um poema falho,
entregando palavras de amor à monarca de meu 
eu, ao amor que já parece distante, às pessoas que
habitam minha dúbia e doente imaginação.



Nenhum comentário:

Postar um comentário