sábado, 23 de agosto de 2014

Olhos Teus

Ame a mim com olhos teus,
e amarei a ti com a reflexão dos meus.
Através das retinas, entre a mente
e o coração, amarei a ti somente
e tudo que vier de tua amplidão.

Ame a mim com olhos teus,
e amarei a ti com a reflexão dos meus.
Por trás dos versos, do poeta através,
por onde andarão, ao perigo, ao viés,
tudo que vem a mim é tua imensidão.

Todos os sutis e temerosos pensamentos
são a respeito de tua perda. Não
deixo de lado a confiança, mas o medo
de perder-te é tremendamente imensurável.
E o poema que me deste... inefável.

Todos os sutis e proveitosos momentos
são a respeito de nosso amor. Não
somos como a chuva, não nos molhamos
em meio à felicidade. Não somos parte da realidade.
Não somos parte um do outro.

Portanto, ame a mim com olhos teus,
e amarei a ti com a reflexão dos meus.
Através das retinas, entre a mente
e toda amplidão, amarei a ti somente
e tudo que vier de teu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário