quinta-feira, 18 de setembro de 2014

-

entre singelas e tortuosas palavras,
os versos do poeta descansam como
fossem canonizados e repletos de
insignificados eloquentes.

não dizemos nada com nada
e nos aplaudem simplesmente
porque não nos entenderam.


Nenhum comentário:

Postar um comentário