domingo, 7 de setembro de 2014

Ilogismo

Perdida em silogismos,
minha mente ofuscada
por tantas emaranhadas
vozes, ecos e ilogismos,

vagou só, desgrenhada,
imersa em falsos-amigos.
E carrego-te comigo,
meu amor, pela superestimada

vida, que agora descansa,
repousa em teus braços
e canta a canção que alcança

o mundo sustenido, diminuto;
o universo inverso e imerso
em musicalidade e versos de minuto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário