segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Mundo

Escuto por aí que a vida é eterna,
não romântica ou religiosamente,
mas por uma parte de mim que mente,
e se diz do mundo uma luzerna.

Uma escala de tinta, uma escala de merda:
não temos grandes ambições, senão
atingir um ou outro leviano coração
- cidade que para no que se diz alterna.

Se estou contigo, é porque mergulho
em meio à treva do egoísmo e orgulho
- jamais por qualquer outro sentimento,

Se estou contigo, não sinto amor ou tormento,
mas fabuloso e esplêndido contento
por chamar-te, assim, de querida ou amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário