quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Visão

Teus olhares me refletiam,
depois daquele infeliz martírio,
e, após um doce delírio,
almejaste alcançar meus tormentos.
Teus lábios luziam, apaixonados,
à espera dos meus, semi-cerrados,
para, depois de milhões de beijos
e lágrimas, os braços entrelaçarmos.

Após triste encanto,
meus sentidos e sentimentos
perderam-se em recanto.
Deixei-te solitária, miserável,
melancólica, inconsolável...
e só depois de perceber,
tornei a cantar, a amar, a viver.

Teus olhos, entretanto, me refletiam, distantes,
depois daquele infeliz martírio,
e, após um doce delírio,
almejaste livrar-te de meus tormentos.
Teus lábios luziam, ainda apaixonados,
à espera dos meus, desinteressados,
para os meus calarem o amor de teus corações
com um sutil convite à morte e depressões.


Nenhum comentário:

Postar um comentário