terça-feira, 25 de novembro de 2014

Alegria

teu rosto reduzido
a pó e sofreguidão
já são fragmentos
de meu próprio sonho,
que se torna realidade
à medida que teus
destroços vão caindo
no solo, fertilizando
meu ego e contentamento.

o mar de teus olhos
permanece esquecido,
permanece frágil,
uníssono, sensível...

torna-se areia aos poucos,
e, da poeira, somente
extraio laços,
lembranças, poesia,

sorrisos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário