sábado, 1 de novembro de 2014

aqui - ou em outro plano,
meu coração, demasiadamente humano,
respirará sofregamente o mundano
ego que a mim proporciono.

e este corpo, insuficiente em sua fala,
cantará somente a canção do amor
enquanto perdurar sua essência
de ser.



Nenhum comentário:

Postar um comentário