sábado, 20 de dezembro de 2014

-

era a fissura celestial em meu coração.
não precisava de muito.
a timidez não permitia sussurros descompromissados.

havia certa conexão entre o dínamo acelerado
e as lôbregas melenas deste e desta poetisa.

seus braços, curtos, escalavam os meus sem me tocarem.
e eu subia em seus olhos para ver até onde se estendiam seus horizontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário