segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Órbita

Traçando suas 
órbitas de fuga
alimentando noites 
desumanizadas
simultaneamente 
errôneas
as flores e pétalas 
abandonadas
caem.
E o repouso
literário
nem excitado
nem lânguido
sobre mim
cala a estadia
no inferno
que tanto 
acompanha
poetas despreparados.
A iluminação 
tece irrelevantes
ilusões.
A iluminação
é a própria ilusão.
Não estamos prontos.
Não sabemos viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário