sexta-feira, 20 de março de 2015

Discussão

Afinidades eletivas caminham com desdém!
A quietude que me foi concedida intercederá
pelos modestos e ínfimos comentários de alguém
que se diz maior do que o que postará.

Generalizações não serão bem vindas além
do que transparece ao primeiro contato.
Mas, se for contra mim, pode ser amigo, amargo,
não hesitarei, ah, me perderei, eu canto, eu mato!

Se for oprimido, não viverá.
Posso ser de boa fé, mas meu íntimo o condenará.
Farei-me desiludido, enxergarei somente
o que convier, propositalmente,

e, dias depois à morte psicológica,
condenarei a tirania, a opressão!
Serei fruto de mais um caso de descaso agudo,
serei mais um da "minoria, não!".

Mas nem todos pensam assim.
Apesar de pertencer à maioria, aos de boa conduta,
não serei ignorante, egocêntrico, um filho da puta!
Porém, ainda, intrínsecos aos serafins:

o sofrimento, o devaneio... a labuta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário