segunda-feira, 27 de abril de 2015

-

Não sofra meu próprio sofrimento,
mas não abandone nossos olhares inversos.
Enquanto eu, melancólico, canto a agonia
de minhas tristes palavras,
você, a luz da alma, resplende um amor
maior que o nunca e sempre de nossos sentimentos



2 comentários:

  1. Lindo.
    sem palavras.
    vou visitar sempre agora.
    gostei mesmo
    beijo

    http://karinapinheiro.com.br/blog/

    ResponderExcluir
  2. "Enquanto eu, melancólico, canto a agonia
    de minhas tristes palavras..."

    Trecho perfeito! Parabéns pela escrita!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir