domingo, 31 de maio de 2015

Não tires de mim tua felicidade

Não tires de mim tua felicidade,
teu riso e complacência,
friso! tua grandiloquência
e tua sobriedade.

Não ocultes teu semblante,
erga a face e olhe profundamente
os olhos que a amam certamente
como faz nenhum outro amante.

Não empalideças o lírio,
a orquídea, rosa,
não sejas breve, lacônica ou prosa,
não lamentes teus martírios.

Por fim, não soluces quando partir.
Jamais em te abandonar pensarei;
a chama não se apagará, em mim não morrerei...
não penses nunca em deixar de sorrir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário