sábado, 13 de junho de 2015

A.L.

quando estou fazendo tudo
que posso
para abandoná-la...
por saber que o amor é feito
de mágoas
perdas
e decepções,

teu sorriso me ilumina.

não é preciso 
muito
para me fazer triste,
mas, 
quando te vejo feliz,
é como se eu mesmo explodisse
em alegria e 
sentisse o 
peso
da angústia de quem vive sumir;
a distância entre o suicídio aumentar,
e a solidão cessar - por ter algo,
finalmente, em que me apoiar:

teu sorriso, tuas besteiras, teus sentimentos.

pois amar é deixar de lado o eu
e entrar no outro;
é esquecer que existimos uma finda e dolorosa existência
para viver plenamente - com ou sem quem se ama;
amar é o não aprisionamento;
amar é dar asas e embarcar no mesmo voo;
é estar longe, porém sempre perto;
é estar errado mesmo quando se está certo.
amar é o que sinto - aparte de todo sofrimento.

quando estou fazendo tudo
que posso
para abandoná-la...
por saber que o amor é feito
de mágoas
perdas
e decepções,

teu sorriso me ganha o mundo.

e é então, 
no detalhe, 
na ínfima parte de tuas dobras e avenidas
que me sinto pleno.

que sinto que te amo.
que sinto que te amo como se fosse parte tua inerente.

que te amo tanto que até esqueço
que teu coração talvez não goste de mim.
talvez ele queira me proteger do mal do amor.
talvez ele queira me proteger do mal de qualquer relação.

mas não importa.
amo independente de tua opinião sobre ti mesma.
amo independente das ausências e melancolia.

amo-te para fazê-la feliz
e, assim, perpetuar
aquele mesmo detalhe dito anteriormente:

o sorriso.

e é com um sorriso meu,
lábios corajosos e destemidos
que digo e repito o que não deve ser economizado:

eu te amo com todos os teus defeitos e qualidades,
com a sinceridade e carinho que me foram atribuídos,
com a certeza de tua incerteza, tristeza e felicidade,
e com este amor, que é o mais repleto dos meus sentimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário