terça-feira, 7 de julho de 2015

Uma porta que se abre

uma porta que se abre
outra que se vai

jurava ter encontrado
um novo começo
para minhas novas angústias
para meu novo amar
minhas novas alegrias

entretanto
pisei num telhado de vidro
e caí em areias movediças.

vivo no espaço de minha cadeira
e da tela do computador desligado

o vazio se instala
a névoa me ilumina

estou amando novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário