sábado, 29 de agosto de 2015

Perdi minha vida sem propósito

Perdi minha vida sem propósito
para um punhado de dores,
para a ferida que sangrou conjunta,
para uma triste lembrança disjunta,
para meu devastamento e melancolia.

Perdi minha vida sem propósito
na trepidez de meus versos,
na intranquilidade em que fui despejado,
em amores que não foram enamorados,
na angustiante distância e esquecimento.

Perdi minha vida sem propósito
na libertinagem de minha época,
em uma ou duas vãs poesias
nas noites tristes de lágrimas vazias,
em meus fúteis medos e fúteis agonias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário