domingo, 8 de novembro de 2015

Ainda

o poço de lágrimas transborda
as desilusões concebidas
o pensamento rápido e objetivo
o jazigo 
e samobójców me perseguindo

os sedativos não compensam
a dor que invade e permite
a insânia a desenvolver-se no seco
de meus olhos lacrimosos

o ego se estabelece fraco

fraco

sou fraco por ter morrido, dizem todos
na cabeça perfurada por tanta miséria
pela agonia de minha felicidade oblíqua
pelos sorrisos amarelos e tortos
falsos e quebradiços


Nenhum comentário:

Postar um comentário